Blog Sem Fins Lucrativos, somente com o intuito de divulgar a carreira do piloto Bruno Senna e o IAS. Carol Lo Re

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

FELIZ 2010 A TODOS!!


Está ai na frente...vai buscar, é teu!!!!
Um 2010 cheio de paz, harmonia e muita esperança a todos!
Um ano de conquistas, muitos sonhos e
realizações.
Ao nosso Bruno Senna, que tenha toda a sorte do mundo em sua primeira equipe de F1, a equipe Campos Meta.
Desejamos mutito sucesso aos engenheiros, mecanicos e que a "grana" surja e possa ser o suficiente para estar entre os 10 primeiros no grid da F1.
Resultados virão em 2010!
Acreditamos e temos muita fé em Deus. ESTE estará 24h do dia junto dos que fazem parte do seu dia a dia e especialmente com voce Bruno Senna. Voce vai conseguir um ano maravilhoso. É teu, vai buscar!!!
Feliz 2010 a todos!!!
Aceleraaaaaaaa!!!!!
Valeu
Carol Lo Re, Ademir, Amanda, Joana e Leo.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Campos e USF1 garantem que estarão no grid da Fórmula 1 em 2010

por Fernando Soares / Final Sports

Segundo o chefe da equipe USF1, Peter Windsor, e Adrian Campos, dono da Campos-Meta, as afirmações de Bernie Ecclestone não serão confirmadas. Na semana que passou, o chefão da categoria disse que tinha medo das duas novas escuderias ficarem fora do grid da próxima temporada.



“Eu estou surpreso que o Bernie disse isso. Nós estaremos lá. Estamos em boa forma”, disse Windsor.



“Na minha opinião, Bernie não possui todas as informações. Estamos trabalhando muito duro”, declarou Campos.

Fibal Sports

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Bruno Senna festeja o retorno de Michael Schumacher à Fórmula 1: "Será demais!"



Brasileiro da Campos espera que seu carro seja competitivo para enfrentar o alemão na temporada 2010: ‘Sempre quis correr contra ele’

Para quem vai dar os primeiros passos na Fórmula 1, a chance de enfrentar o maior vencedor da história categoria torna a estreia ainda mais saborosa. O brasileiro Bruno Senna, que vai correr pela Campos, já festeja o fato de dividir a pista com Michael Schumacher, que fechou contrato com a Mercedes para disputar a temporada 2010.

- A volta do Schumacher será demais! Sempre quis ter a oportunidade de correr contra ele. Espero que o carro da Campos seja competitivo a ponto de me dar chances nessa disputa – afirmou Bruno nesta quarta-feira.

O brasileiro evita fazer prognósticos sobre o desempenho de Schumacher no retorno após três anos longe das pistas da F-1.

- É difícil estimar em que nível ele estará depois destes três anos de ausência. Ele precisará readquirir o ritmo de corrida, o que talvez seja o mais importante. Além disso, temos de esperar para ver como será o desempenho do carro da Mercedes. E haverá outras variáveis, como a chegada de equipes novas cujo potencial ainda terá de ser revelado – avaliou.

O brasileiro da Campos não sabe o que vai acontecer, mas aposta em uma temporada inesquecível para os fãs da categoria.

- Será muito interessante ver como Schumacher se comportará contra os grandes nomes atuais da Fórmula 1 e até mesmo diante daqueles que estão chegando agora. Não sei o resultado de tudo isso, sei apenas que o campeonato tem tudo para ser inesquecível – afirmou.

Fonte:Globoesporte.com
http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Formula_1/0,,MUL1425281-15011,00.html

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Bernie Ecclestone - A aposta é que a USF1 fique fora. - Ecclestone: Campos terá problemas na temporada 2010




Bernie Ecclestone, chefão da Fórmula 1, tem sérias dúvidas sobre duas das quatro equipes novatas em 2010. Para o todo-poderoso, os times Campos e USF1 podem nem alinhar no grid no ano que vem. A Campos já confirmou Bruno Senna como um dos pilotos.

"Penso que as pessoas (equipes) que achamos que andarão, andarão. E aquelas que não, não", falou Ecclestone em entrevista para o jornal britânico The Times. O chefão entende que as escuderias terão muitos problemas no começo do Mundial.

As principais dúvidas estão relacionadas que, apesar de ter pago a taxa para participar do Mundial, está com o cronograma bem atrasado e sequer iniciou a negociação com pilotos para a disputa da próxima temporada.

A Campos, depois de confirmar Bruno, deixou claro que pode ter problemas de orçamento em 2010. Tanto que conversa com pilotos, para a vaga em aberto, que tenham condições de trazer dinheiro através de investidores e patrocinadores.

Por outro lado, a equipe espanhola está em dia com o desenvolvimento do chassi Dallara - que já passou pelo teste de impacto da FIA.

Bernie Ecclestone, seguindo a conversa com o The Times, deixou o palpite de que o grid de largada para o GP do Bahrein, abertura do Mundial 2010, no dia 14 de março, terá 24 carros alinhados. A aposta é que a USF1 fique fora.
UOL

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

De La Rosa continua como favorito a formar dupla com Bruno Senna em 2010.


O presidente da Campos Meta disse que continua interessado em De la Rosa:

»" As negociações com Pedro nunca foi quebrado ", diz Still», reconhecendo que eles precisam de mais patrocinadores,enfatiza que não há dúvida de que sua equipe vai estar no mundo em 2010

O presidente da Scuderia de Formula 1 Campos Meta, Jose Ramon Carabante, reconheceu que continuam interessados em assinar o espanhol Pedro Martínez de la Rosa, mas a chegada do piloto de testes da McLaren-Mercedes ainda depende de patrocinadores.

"Se Pedro pudesse escolher, eu garanto que ele estaria conosco.
"Hoje existe a possibilidade de que o banco segurando o que resta é um piloto espanhol e, claro, isso seria um sonho que foi Pedro Martínez de la Rosa. As negociações com Pedro nunca foi quebrado", disse ele em disse 'Motor Radiosestadio'

O líder disse que "aproximações" com De la Rosa para "explicar o projeto." Se Pedro pudesse escolher eu garanto que você estaria conosco. O problema é cíclico pelo tempo que estamos a atravessar o patrocínio. Hoje, os pilotos têm de correr e eles não suportam ninguém do ponto de vista econômico como um patrocinador, a equipe seria um encargo adicional quase impossível para salvar ", disse ele.

Além disso, o líder do time catalão, assinará reconhecida "de graça, se necessário. "Se não somos capazes de cobrir o orçamento baseado em negociações que estão a ter patrocinadores exigem necessariamente um piloto de trazer a sua nacionalidade, a primeira opção é trazer a Pedro", disse ele.

Carabante disse De la Rosa é a única opção nacional. "Nós amamos como todos os espanhóis e teríamos o maior prazer para a nossa equipe, mas depende muito fortemente de patrocínio. Hoje De la Rosa é a única opção para baralhar piloto espanhol", disse ele.

Ele admitiu que pretende anunciar o nome do piloto companheiro de Bruno Senna "antes do fim do ano"
Por outro lado e falou das opçoes como Pastor Maldonado ", apoiado pela Venezuela", e Vitaly Petrov, "que tem um mercado como da Rússia, que agora está aberto para as expectativas de Fórmula 1 ".

Ele também deixou claro que estará no grid de largada no GP do Bahrain. "Eu ouvi as pessoas que têm dúvidas, mas as dúvidas que possa ser membro da FIA, antes e ter a 'entrada' alcançados. Nós conseguimos e temos que passar todos os testes foram realizados para ver como o carro . Ninguém dúvida de que estaremos no caminho em 2010 ", concluiu ele.

Fonte: Marca.com

Obs: O texto foi traduzio com auxilio de uma ferramenta da Web, logo pode conter algumas imperfeiçoes.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Entrevista de Bruno Senna à Revista Época



“Na pista, rezo para chover”

Prestes a estrear na Fórmula 1, o sobrinho do tricampeão Ayrton fala das semelhanças e das diferenças entre os dois em resposta aos leitores de ÉPOCA

Redação Época

Até agora, Bruno Senna tem feito das comparações com o tio Ayrton (1960-1994) mais um trunfo que um fardo. O sobrenome o ajudou a subir rapidamente os degraus sucessivos rumo à Fórmula 1, em categorias que despertam pouco interesse do público em geral. Mas é aos resultados dentro da pista, onde o histórico familiar não pilota, que Bruno deve o convite para estrear na F-1. Em sua estreia, no dia 14 de março de 2010, no Bahrein, na debutante escuderia Campos Meta, Bruno provavelmente contará com a boa vontade dos críticos; ele sabe, porém, que a comparação com o tio será inevitável, como mostra esta entrevista aos leitores de ÉPOCA – cuja íntegra está em epoca.com.br.

ENTREVISTA - Bruno Senna


QUEM É

Bruno Senna Lalli nasceu em São Paulo em 15 de outubro de 1983. É filho de Viviane, irmã de Ayrton Senna

O QUE FEZ

Começou a pilotar tarde, devido ao trauma familiar com o acidente fatal do tio. Em 2004, correu na Fórmula BMW; em 2005 e 2006, na Fórmula 3; em 2007 e 2008, na GP2, considerada “porta de entrada” para a Fórmula 1 (foi vice-campeão em 2008); e, em 2009, na Le Mans Series



Quais são as maiores semelhanças e diferenças entre você e o Ayrton?
José Henrique da Veiga, Goiânia, GO
Bruno Senna – Eu e o Ayrton somos pessoas diferentes em geral, mas temos algumas semelhanças na forma de trabalhar. Assim como ele, sempre tento ser perfeccionista e determinado em relação a minha carreira.

Hoje a F-1 é mais difícil ou mais fácil que no tempo em que seu tio foi tricampeão?
Raquel Gonzalez, Rio de Janeiro, RJ
Senna – Todo esporte muda constantemente durante sua história. Hoje em dia, os desafios que os pilotos e as equipes encontram são muito diferentes dos que eram encontrados na época do Ayrton. Por um lado, o esporte é mais seguro e confiável, mas, por outro, os carros são mais rápidos e exigem muito condicionamento mental para usar o máximo dos controles disponíveis. Não acredito que seja mais fácil ou mais difícil, mas sim que os desafios são diferentes.

Ayrton Senna se consagrou sob chuva. Você gosta de pilotar em pista molhada?
Wendell Rocha Costa, Martinópole, CE
Senna – Gosto bastante de andar na chuva. Em geral, se tenho algum problema na pista no seco, rezo para chover, porque aí as coisas vêm mais para meu lado – vide a segunda corrida de Silverstone na GP2 em 2008 (vencida por ele).

Qual é sua análise sobre o carro e a equipe Campos Meta até aqui?
Bruno Carvalho, Manaus, AM
Senna – Durante minha visita à Dallara (fabricante do chassi do carro), fiquei bastante confiante em relação ao estágio de desenvolvimento do carro. Acredito que teremos um carro confiável para 2010, mas acho improvável que estejamos na mesma situação da Brawn GP (equipe campeã da F-1 deste ano, em sua temporada de estreia). Os objetivos que traçamos para a primeira temporada são: ser a melhor das equipes estreantes e marcar pontos em todas as oportunidades. Tudo o mais será um bem-vindo bônus.

Bernie Ecclestone, o “chefão” da F-1, disse que seria interessante que Nelsinho Piquet conseguisse retornar em 2010, pois a categoria teria de volta a rivalidade Piquet x Senna. Qual é sua opinião?
Sílvio Almeida, Fortaleza, CE
Senna – Seria interessante para a F-1, mas as coisas só serão realmente interessantes se eu e o Nelsinho estivermos em carros competitivos, disputando vitórias e resultados. Nunca disputei uma corrida com o Nelsinho, e temos boa relação fora das pistas.

Você se lembra de algum conselho de seu tio Ayrton que segue até hoje?
Elton Vendrusco, Cosmópolis, SP
Senna – Com certeza o melhor deles foi: “Pé na tábua, moleque!”.


Fonte:Revista Época

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Bruno Senna aplaude mudança de pontuação na F1

Estreante acredita novos pilotos e equipes serão beneficiados pela medida.

SÃO PAULO - A mudança no sistema de pontuação da Fórmula 1, anunciada nesta sexta-feira pelo Conselho Mundial da Federação Internacional de Automobilismo, foi bem-recebida por Bruno Senna. "Vai ajudar bastante as novas equipes e os pilotos estreantes como eu", aplaudiu o brasileiro, que correrá em 2010 pela equipe Campos Meta. De acordo com a proposta aprovada pela entidade, os 10 primeiros colocados passarão a receber pontos, encerrando o sistema introduzido em 2003 que premiava apenas os oito melhores de cada prova.

Em Londres, cidade onde mora desde que começou a carreira em 2004, Bruno lembrou que as pequenas escuderias, cujos projetos foram criados neste ano com a perspectiva de uma drástica redução dos orçamentos que acabou não se confirmando, serão diretamente beneficiadas pela novidade. "Será uma oportunidade que elas terão de apresentar resultados aos patrocinadores e ganharem algum dinheiro. Se o formato atual fosse mantido, as chances de as estreantes terminarem as corridas na zona de pontos seriam bastante remotas."

Bruno chegou à capital inglesa nesta quinta-feira, depois de uma curta escala em Mônaco. No principado, viu algumas opções de apartamento para alugar, uma vez que a decisão de mudar de Londres já está tomada. No final de semana, vai se submeter a um rigoroso programa de treinamento físico com seu preparador pessoal. "Temos cerca de 50 dias até a abertura dos testes de pré-temporada. Esta é a hora de trabalhar toda a base para começar os treinos na melhor forma possível", observou.

Com regresso para o Brasil marcado para o final da semana que vem, Bruno passará antes pela Itália, a fim de acompanhar a produção do carro da equipe espanhola nas oficinas da Dallara. Em seguida, viajará para a Espanha, onde se encontrará com dirigentes da equipe.

Fonte: Márcio Fonseca

Foto: Carsten Horst/ MF2


Senna comemora novo sistema de pontuação da F-1




"Vai ajudar equipes e pilotos estreantes, como eu", comentou o brasileiro.

Bruno Senna, piloto da equipe Campos para a temporada de 2010 da F-1, comemorou o novo sistema de pontuação determinado pela FIA para o próximo ano.

O brasileiro vê no novo formato _que premia do primeiro ao décimo colocado, dando 25 pontos ao vencedor de cada etapa_ beneficia equipes e pilotos estreantes.

"Vai ajudar bastante as novas equipes e os pilotos estreantes como eu", comemorou Senna. "Será uma oportunidade que as equipes terão de apresentar resultados aos patrocinadores e ganharem algum dinheiro."

"Se o formato atual fosse mantido, as chances de as estreantes terminarem as corridas na zona de pontos seriam bastante remotas", completou.

Fonte: site Tazio

Confirmado! FIA aprova novo sistema de pontuação para a F1

Conforme ja foi notificado neste blog anteriormente sobre uma possivel alteraçao no sistema de pontuaçao para a temporada 2010, a Federação Internacional do Automóvel (FIA) aprovou hoje o novo esquema de pontuação para o Mundial de Fórmula 1.

Tal como era esperado (e quase certo), a distancia entre os três primeiros classificados de cada prova será agora maior.


Assim, e a partir de 2010, os dez primeiros passarão a pontuar, sendo os pontos divididos da seguinte forma: 25 - 20 - 15 - 10 - 8 - 6 - 5 -3 - 2 - 1.

Fonte: autosport.com

FIA deve mudar sistema de pontuação para 2010



Zona de pontos pode premiar os dez primeiros colocados em cada prova

O Conselho Mundial de Automobilismo deve ratificar um novo sistema de pontos para a F-1 já a partir da temporada de 2010.

O sistema implantado em 2003, que dá a ordem de distribuição de pontos de 10-8-6-5-4-3-2-1 aos oito primeiros colocados de cada corrida, passaria a premiar os dez primeiros em cada etapa, na ordem de 25-20-15-10-8-6-5-3-2-1, para que os 26 participantes previstos para 2010 possam ter mais chance de pontuar.

Embora pequenas alterações já tenham ocorrido na história da categoria _como o valor de pontos atribuído ao vencedor, que mudou de 9 para 10 pontos em 1991, ou como a implantação feita em 2003, quando os oito primeiros, ao invés dos seis, passaram a pontuar_, o novo sistema é tão diversificado que impede qualquer comparação histórica com os sistemas anteriores.

A nova pontuação foi discutida e apoiada na reunião realizada pela Comissão da FIA na última quinta-feira. Bernie Ecclestone, presidente da FOM, e Jean Todt, presidente da entidade máxima do automobilismo, estiveram presentes no encontro.

Um comunicado da FIA acrescentou: "Estamos desenvolvendo propostas detalhadas para melhorar o show. Elas terão efeito a partir do campeonato de 2010. A FIA e a FOM irão colaborar ainda mais para melhorar a comunicação e a promoção do campeonato para a mídia e para seus fãs no mundo inteiro".

A alteração deve ser oficialmente confirmada nesta sexta-feira.

Fonte: Site Tazio

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Campos Meta podría presentar coche en Valencia a finales de Enero


Campos Meta y el resto de los equipos que participarán en el próximo Mundial de Fórmula 1 están estudiando la posibilidad de realizar un presentación conjunta de sus nuevos monoplazas a finales del próximo mes de enero en Valencia, según aseguró hoy el director ejecutivo de Mercedes Grand Prix, Nick Fry.

"Hemos acordado entre todos los equipos hacer una presentación conjunta. Estamos recibiendo mucha ayuda para organizar este evento y de aquí me voy a una reunión para discutir precisamente este tema. Por el momento no quiero desvelar lo que vamos a hacer exactamente, pero creo que va a ser muy innovador", anunció Fry en un foro de negocios del automovilismo en Mónaco.

Asimismo, según el máximo responsable de Mercedes Grand Prix, antiguo Brawn GP, señaló que esta posible megapresentación es "otra clara demostración" de cómo están trabajando "todos juntos". "No queremos hacer presentación individuales, haciéndolo de esta manera, todos juntos, sería mucho más atractivo para el público", añadió.
Campos Meta

Como voar para todos os Grandes Prémios de Fórmula Um em 2010

Para você que deseja acompanhar o piloto Bruno Senna em todas as corridas de 2010 segue abaixo o roteiro completo de datas e voôs. Boa viagem!

Para viajar para esses eventos devem ser tomadas com antecedência para os vôos e hotéis, e consequentemente para os bilhetes.

Grande Prémio do Bahrain (Sakhir)
14 de março

Airport Code: BAH

Esta rota não é explorada diretamente a partir de Madrid, mas pode ser feito com um único nível com a British, a Egyptair, Royal Jordanian Airlines, Catar ou Rota da viagem de baixo custo a partir de Madrid para Atenas com uma paragem em Barcelona (Vueling) ou na Europa, Easyjet e depois para Atenas com a Air Arabia Bahrain.

Grande Prémio da Austrália (Albert Park)
Data: 28 de março

Airport Code: MEL

Esta rota (MAD-MEL), não é explorado diretamente por isso tinha de ser com empresas como a British Airways e Qantas (One World, por exemplo).

Rota da viagem de baixo custo para Londres Stansted com a Ryanair e depois voar para KUL pela Air Asia X e depois voou para Melbourne com a Air Asia X.

Grande Prêmio da Malásia (Sepang)
Data: 4 de abril

Airport Code: KUL

Esta rota não é explorada directamente de Espanha, as opções mais convenientes para a qualidade do serviço, em voo e pela proximidade de estações de Singapura e Tailândia estão a operar a partir de Espanha.

Rota da viagem de baixo custo para Londres Stansted com a Ryanair e depois voar para KUL pela Air Asia X.

Grande Prêmio da China
Data: 18 de abril

Airport Code: PVG

Muitas empresas operam nesta rota, com uma pequena escala para exemplo, KLM, Lufthansa e Finnair.

A alternativa de baixo custo não é recomendado para este Grande Prémio que o custo poderia ser bastante similar para fazer uma transportadora de bandeira.

Grande Prémio de Espanha (Barcelona)
Data: 9 de maio

Airport Code: BCN, GRO

Para voar para Barcelona e Girona, há uma vasta gama de ambas as companhias nacionais, como a Iberia e a baixo custo como a Ryanair.

Grande Prêmio de Mônaco
Data: 16 de maio

Airport Code: NCE (série), MRS (Marseille)

Embora nenhum vôo direto para Nice (exceto charter) a melhor opção é voar a 200 milhas de Marselha e chegar em Mônaco.

Outra boa opção é viajar de trem TGV de Perpignan a Girona com a Ryanair voar.

Grande Prêmio da Turquia
Data: 30 de maio

Airport Code: HSA, ES

A Espanha é bem relacionado com a capital da Turquia com a Iberia como para além dos voos charter.

No entanto, se você quiser voar em baixa de companhias aéreas de custo tem a opção de descer para Casablanca (Marrocos e Arábia Air Maroc mosca da Europa ou voar com a Easyjet ou Pegasus.

Grande Prêmio do Canadá (Montreal)
Data: 13 de junho

Airport Code: YUL

Trânsito Air Canadá e Air Canadá voar de Madrid, mas com as companhias aéreas americanas e européias também prestar um bom serviço com o Canadá.

Grande Prêmio da Europa (Valência)
Data: 27 de junho

Airport Code: VLC

Valência está ligado a toda a Espanha, tanto as transportadoras de bandeira como as companhias aéreas de baixo custo, e não via terrestre (trem ou ônibus).

Reino Unido Grand Prix (Silverstone)
Data: 11 de julho

Airport Code: LTN LON BHX

Silverstone está localizado a meio caminho entre Londres e Birmingham.

Eu recomendo o aeroporto é Londres Luton (Easyjet e Ryanair) para ir para a corrida embora assim que você pode voar para Birmingham como qualquer aeroporto de Londres.

Grande Prêmio da Alemanha (Hockenheim)
Data: 25 de julho

Airport Code: STR (Stuttgart), Baden-Baden (Baden Baden), DE (Frankfurt), HHN (Gallo)

O circuito tem vários aeroportos em uma distância relativamente perto de Madrid exploração directa ou indirectamente (através de Mallorca).

Grande Prêmio da Hungria (Hungaroring)
Data: 1 de agosto
Airport Code: BUD

Budapeste tem voos directos com a Iberia e Malev (Um Mundo) e de baixo custo Ryanair.

Grande Prêmio da Bélgica (Spa)
Data: 29 de agosto

Airport Code: BRU, CRL, DUS, NRN, LUX

Este prêmio não tem aeroporto próximo, mas como no caso de Hockenheim tem muitas opções, tanto para companhia aérea de baixo custo e de bandeira.

GP da Itália (Monza)
Data: 12 de setembro

Airport Code: MXP BGY LTE

Possivelmente todos os grandes prêmios este é o melhor conectadas com a Espanha.

Há vôos para as três alianças (Um Mundo, Star Alliance e Sky Team) nos aeroportos de Milão e também pelo baixo custo operacional, tanto como a Ryanair Easyjet a partir de Madrid para o Milan.

Grande Prêmio de Cingapura (Marina Bay)
Data: 26 de setembro

Airport Code: NÃO

Não existem voos directos de Madrid para Singapura, mas quase todas as alianças têm o potencial para atingir o país, parando em um dos seus hubs.

GP japonês (Suzuka)
Data: 3 de outubro

Airport Code: KIX

É o mesmo que com Cingapura ou Xangai, mas não há vôo direto se as conexões, o aeroporto mais próximo é Nagoya Osaka, mas eu tenho porque acho que o próximo hub internacional.

Grand Prix da Coreia (Sul Jeolla)
Data: 17 de outubro

Como o resto da Ásia conexão Prémio Europeu e exigir que o circuito a 400 quilômetros de Seul exige uma escala nacional.

Abu Dhabi Grand Prix
Airport Code: AUH

Data: 31 de outubro

Para ver este grande prêmio, podemos usar a Qatar Airways e outras companhias aéreas do Golfo Pérsico, bem como linhas de europeus, como a British Airways.

Grande Prémio do Brasil (Interlagos)
Data: 14 de novembro

Airport Code: dezembro

Iberia e TAM oferecem vôos diretos de Madri para São Paulo.

TAP oferece voos com escala em Lisboa, com preços muito competitivos.

OBS: O roteiro foi extraido do site de viagens espanhol (http://www.tremendoviaje.com/),logo é mais direcionado para os seguidores da Campos Meta residentes na espanha. Texto traduzido com auxilio de um tradutor da web, logo pode conter algumas imperfeiçoes.

Pilotos elegem Ayrton Senna o melhor da história da Fórmula 1

Tricampeão mundial, Ayrton Senna foi eleito o maior piloto de Fórmula 1 de todos os tempos. A votação foi publicada na edição desta semana da revista inglesa Autosport, que ouviu 217 pilotos.

A lista incluiu o mais antigo vencedor de GP ainda vivo, o argentino Jose Froilan Gonzalez, e o mais velho piloto de F-1 vivo, o alemão Paul Pietsch, de 98 anos. Cada um dos 217 pilotos escolheu os 10 maiores da história, em sua opinião.

O heptacampeão mundial Michael Schumacher, que inclusive foi um dos pilotos ouvidos pela revista, ficou em segundo lugar. O argentino Juan Manuel Fangio, pentacampeão entre 1951 e 1957, ficou em terceiro.

Em 162 Grandes Prêmios disputados durante suas 11 temporadas na Fórmula 1, Ayrton Senna conquistou 41 vitórias e 65 pole positions, o que lhe rendeu os títulos mundiais de 1988, 1990 e 1991.

Senna estreou na categoria pela equipe Toleman, na temporada de 1984. A primeira vitória veio no GP de Portugal de 1985, em Estoril, já correndo pela Lotus. Em 1988, foi contratado pela McLaren e conquistou seu primeiro título. Naquele ano, cravou 13 pole positions e teve 8 vitórias, em 16 corridas disputadas.

Após seis anos de sucesso com a equipe inglesa, se transferiu para a Williams em 1994. Largou da primeira posição nas três corridas que disputou com a equipe. Porém, na última delas, em San Marino, sofreu o acidente que lhe tirou a vida e chocou o planeta.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Instituto Ayrton Senna dá a largada na Bienal do Automovel em Belo Horizonte

Começou hoje a Bienal do Automovel em Belo Horizonte e o Instituto Ayrton Senna é um dos principais apoiadores do evento e grande atraçao aos visitantes. A exposiçao vai ate o dia 13 de Dezembro e conta com grande acervo sobre a carreira do tricampeao Mundial Ayrton Senna. Nao percam, está sensacional.









Senna News Dezembro de 2009



Uma lenda a toda velocidade

O lançamento foi na Livraria da Vila do Shopping Cidade Jardim
Na semana do GP Brasil de Fórmula 1, o Instituto Ayrton Senna, a Editora Global e a Livraria da Vila prestaram uma homenagem ao tricampeão mundial com o lançamento do livro memorabilia Ayrton Senna – uma lenda a toda velocidade: uma jornada interativa, de autoria de Christopher Hilton. A publicação, que já foi lançada em outros países, traz anexos com reproduções de documentos que remetem a suas experiências pessoais. Durante o lançamento, a presidente do Instituto Ayrton Senna, Viviane Senna, autografou os livros, ao lado do filho Bruno Senna. O livro encontra-se à venda na Livraria da Vila e na Senna Store

Assinantes do Estadão podem contribuir para a educação do Brasil

O jornal O Estado de S. Paulo fechou uma parceria com o Instituto Ayrton Senna para a campanha "Qual o valor do conhecimento”. A promoção, até 15 de dezembro, oferece aos que fizerem ou renovarem a assinatura do jornal ingressos para atrações culturais — entre cinema, teatro, shows ou museus — , e o assinante decide o que quer pagar. Esse valor é doado aos programas educacionais desenvolvidos pelo Instituto Ayrton Senna em todo o País.

6ª edição da ASRD alcança pleno sucesso

Com as inscrições encerradas antes do prazo final e com record de participação, a Ayrton Senna Racing Day 2009, realizada em 8 de novembro, no Autódromo de Interlagos, reuniu 5.900 maratonistas. Os integrantes das equipes classificadas em primeiro lugar, em cada uma das categorias — geral, dois, quatro e oito corredores — receberam, além do troféu, medalha e livro-agenda Esporte com Arte – Ayrton Senna, passagem aérea da Gol, para qualquer destino do Brasil, exceto Fernando de Noronha.
A Ayrton Senna Racing Day contou com patrocínio master da Bradesco Seguros e Previdência e da Bradesco Capitalização; co-patrocínio da Nestlé; co-patrocínio de mídia da ESPN, Rádio Eldorado e O Estado de S. Paulo; além de apoio das empresas Saucony, Magazine Luiza, Panasonic, Gol, Rede Campeão, Promatre, Fimatec, Nobelpack, Bossa Nova e Gatorade. A realização da prova é do Instituto Ayrton Senna e a organização é da Latin Sports.

Navegue protegido com o Senninha

Senninha e sua turma agitaram o Mês das Crianças com a campanha “Navegue Protegido”. O personagem esteve presente no Play Center e em escolas públicas da capital incentivando as melhores práticas para navegar na internet de forma segura. O ponto forte da campanha, realizada em parceria com a Microsoft, foi a HQ criada especialmente sobre o tema, com Senninha e amigos envolvidos no combate aos vilões da internet, com a ajuda de poderosos insetos, os “Velocirapiders”. A HQ foi distribuída no Dia das Crianças, no Play Center, e para cerca de 5.500 alunos. Ela pode ser conferida no hotsite, que também traz dicas de como navegar na internet com segurança, além de cards e jogos.

Ser Jovem é 10

O Circuito Ayrton Senna de Juventude acontece sempre no fechamento do ano nas 212 escolas parceiras do Programa SuperAção Jovem. É o momento para reconhecer os resultados conquistados por cerca de 40 mil jovens protagonistas nas aulas de projetos ou nas oficinas de leitura e matemática. O tema do Circuito 2009 é o futebol e a disputa contra os “times” que tentaram atrapalhar o convívio e a aprendizagem ao longo do ano, como o Esporte Clube Preguiça, a Sociedade Esportiva da Bagunça e o Decoreba Futebol Clube. Para saber mais sobre o Circuito, acesse www.superacaojovem.org.br.

Instituto no Salão Duas Rodas e Fenatran

O Instituto esteve presente em duas importantes feiras do mercado automotivo em outubro: o Salão Duas Rodas e a Fenatran, onde apresentou ao público uma exposição sobre a trajetória de Ayrton Senna, com objetos, fotos e vídeo do tricampeão. A participação do Instituto foi possível graças à iniciativa da Reed Alcântara Machado, que cedeu o espaço, da ANFAVEA, da Abraciclo e da Honda, que custeou a montagem do estande.

Seja um Fã de Carteirinha da Educação

Agora qualquer pessoa pode abraçar a causa da educação e contribuir para os programas educacionais do Instituto, que acontecem em todo o País. Basta acessar o www.senna.org.br para fazer sua doação e se tornar Fã de Carteirinha da Educação, entrando no time que está ajudando a construir um novo Brasil!

Fonte: www.senna.org

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Preview do carro da Campos Meta1



Está no site da Equipe Campos Meta uma prévia do layout do carro para a temporada de 2010. O mesmo deve sofrer ainda modificações até a apresentação oficial do modelo que deve ocorrer no mês de janeiro.

Fonte: www.camposmeta.com

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Bruno Senna está perto do sonho de correr na Fórmula 1: ´O Brasil gosta de vencedor´

video

Matéria exibida ontem no Programa SportvNews com o piloto Bruno Senna.

Fonte: Globo.com

Embratel pode patrocinar a Campos em 2010




Embratel pode patrocinar a Campos em 2010

Empresa telefônica pode aproveitar número do carro

LANCEPRESS!

Uma coincidência pode levar à Campos um bom patrocínio.Bruno Senna terá em 2010 o carro de número 21, que é o código para ligações telefônicas da Embratel, que é parceira do piloto.

Ainda não existe nada de concreto, mas a empresa pode aproveitar mais este espaço para divulgar a sua marca.

O piloto ainda disse que está ansioso para voltar ao Bahrein, onde a temporada de Fórmula 1 de 2010 começará, e Senna estreou na GP2. Na ocasião, ele ficou em quarto.

- Não vejo a hora de sentar no carro, é necessário estabelecer metas para os primeiros testes, expectativa é muito grande - disse.

Bruno ainda vai intensificar seus treinos físicos com o preparador Andy Mathews. O piloto disse que costuma ficar muito dolorido depois de dirigir por muito tempo e quer estar melhor nessa parte em 2010.

Fonte: Agência LancePress

Senna em Campos




SÃO PAULO – Bueno, almoçamos, os jornalistas, com Bruno Senna e a cúpula da Campos Meta hoje, antes da chuva. Fiz algumas anotações no meu Moleskine que quase já não tem páginas em branco, então vai faltar alguma coisa, porque quando as páginas acabaram eu parei de anotar, e também não anotei nada na hora da sobremesa, que estava muito boa. O cara da Meta, Enrique Rodríguez de Castro, falava comigo e com o Reginaldo Leme, e eu só comia.

Começando do começo, Adrián Campos, o dono da bagaça ao lado da Meta (uma espécie de Traffic, empresa que agencia atletas e faz eventos esportivos) e de mais um sócio cujo nome não anotei, contou que quando corria na Minardi, o orçamento do time era de US$ 7 milhões. Ele pilotou para o time italiano em 1987 e parte de 1988, quando chegou Pierluigi Martini. “Dois pilotos da mesma nacionalidade na mesma equipe não funciona. É um desastre. Os patrocinadores são os mesmos, não dá certo. Pilotos de diferentes nacionalidades abrem o mercado de seus países”, disse.

Assim, fica claro que a dupla Bruno Senna/Nelsinho Piquet, ao menos na Campos, jamais existirá. Aliás, sobre Nelsinho, Adrián disse que conversou com ele só uma vez. Não tem negociação em andamento. E falou que Piquet-pimpolho foi “vítima de grandes interesses da F-1″. O segundo piloto da equipe, segundo o dono, será definido antes do Natal. Os nomes: Pastor Maldonado e Vitaly Petrov. Vai ser o russo. Ele tem grana e correu para a Campos na GP2 asiática.

Depois, Adrián falou com orgulho de sua equipe, que nasceu em 1998 e já conquistou títulos importantes na F-Nissan com Marc Gené (no ano da estreia), Fernando Alonso (1999) e Antonio Garcia (2000). Na GP2, foi campeão entre as equipes em 2008. Um de seus pilotos foi Lucas di Grassi.

Falou sobre Alonso: “É um piloto que faz a equipe funcionar. Felipe Massa pode se beneficiar disso, porque é rápido e a Ferrari gosta muito dele”. Disse que o carro da Campos, que está sendo feito na Itália pela Dallara, vai participar dos quatro testes de fevereiro: três dias em Valência, depois dois testes de quatro dias em Jerez e, por fim, mais um de quatro dias em Barcelona. Elogiou a Cosworth, que está fazendo um ótimo motor, segundo ele. Não contou, mas eu soube, que amanhã se reúne com a Petrobras no Rio. É óbvio que a Petrobras será sua fornecedora de gasolina.

O time tem 90 funcionários, mas quando começar a fazer o carro na Espanha, vai ter 200. Serão 45 por corrida. Isso é regra, todas as equipes estão limitadas a 45 almas por GP. Eu não sabia disso. Contou que o critério de escolha das novas equipes pela FIA foi geográfico, acima de tudo. “Era importante uma equipe espanhola, uma americana, uma da Malásia, que terá dinheiro do governo, e só uma inglesa. Eles não queriam um monte de inglesas. Está nascendo uma nova geração de equipes. Se Max Mosley não tivesse aberto as portas para as novas, a F-1 hoje teria oito times, ou menos.”

Adrián também falou que ninguém tem muita informação sobre as rivais. “Estamos chegando a um meio cheio de tubarões, ninguém confia em ninguém. Por isso, ninguém passa muitas informações.” Contou que a USF1 é aquela sobre a qual menos sabe.

brunoAí chegou a comida e quem começou a falar foi o Bruno, e não anotei muita coisa. Lembro que ele disse que o número 21 foi uma sorte, apenas, nada a ver com a Embratel. Como deram 20 e 21 para a Campos, explicou Bruno, a equipe pediu para a FIA para inscrevê-lo com o 21, mas não disse por quê. “Se dissessem que era por causa de patrocínio, eles não davam. Devem ter dito que era meu número da sorte, algo assim.” O primeiro-sobrinho falou que há duas semanas tem tido reuniões com possíveis patrocinadores no Brasil, mas a prioridade é arrumar grana para a equipe; depois, patrocinadores pessoais.

Da sobremesa já falei, não anotei quase nada do que disse o cara da Meta, comi um merengue com morango, um musse de goiabada com queijo, um pudim de leite, um cheese-cake e um pedaço do crème brûlée da Vanessa Ruiz (a da foto), da CBN. Os acentos do creme eu tirei da internet. Francês é muito difícil. Enrique, o cara da Meta, está cheio de ideias, disse que a equipe vai plantar árvores para compensar a emissão de poluentes de seus carros, quer que a Campos seja uma “ecoequipe”, que precisa conquistar os jovens e que os novos times da F-1 são “filhos da crise”, porque foi a crise que afastou as montadoras da categoria.

E foi isso. No fim, ainda ganhamos uma camiseta da equipe. Tamanho G, vai ficar grande, não vou usar
Blog do Gomes

"Segundo piloto da equipe Campos Meta será anunciado até o Natal "


Em um almoço informal em São Paulo com as presenças de Bruno Senna e Adrian Campos, dono da equipe que leva seu sobrenome e terá o brasileiro no cockpit, o dirigente confirmou que o segundo piloto da equipe será divulgado até o Natal. Ele garantiu também que só existem agora três nomes: o venezuelano Pastor Maldonado, o russo Vitaly Petrov, e o experiente espanhol Pedro de la Rosa.

Ao ser questionado qual seria o principal atributo do piloto entre experiência, modo de pilotar ou patrocínio, Campos disse que vai tentar balancear os três.

"Podíamos trazer um piloto que não trouxesse dinheiro, e esse era o Bruno, por isso agora olharemos por outro lado", disse o dirigente.

Adrian Campos também comentou que o carro estará pronto até o final de janeiro. Pelos próximos três anos, a responsabilidade por fabricar os carros serão da italiana Dallara, depois a própria equipe terá a sua fábrica.

Patrocínio- Uma coincidência pode levar à Campos um bom patrocínio. Bruno Senna terá em 2010 o carro de número 21, que é o código para ligações telefônicas da Embratel, parceira do piloto.

Ainda não existe nada de concreto, mas a empresa pode aproveitar mais este espaço para divulgar a sua marca.

Terra Brasil

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Na mesa com Adrian Campos por Fabio Seixas.

Na mesa com Campos

Almoço, hoje, com Bruno Senna. Que sorria de orelha a orelha, demonstrava otimismo com a equipe, com a Dallara, com a estreia. O companheiro, diz, deve ser Maldonado ou Petrov. O anúncio acontecerá antes do Natal.
Mas a grande surpresa do início de tarde foi o chefe dele, Campos. Apesar de ter cruzado com ele inúmeras vezes em paddocks mundo afora, nunca havíamos conversado. Ótimo papo. Piloto da Minardi em 87 e 88, amigo do Senna-tio, desandou a falar.
Um trecho:
"Ayrton ensinou a todos nós o que era ser piloto de F-1. Naquela época, caras como eu, Mansell, Prost, Nanini, Piquet... A gente saía do carro, passava as impressões pro engenheiro de pista e uma hora depois estava indo embora do autódromo. O Ayrton ficava lá horas, ficava a noite toda, atrás de um detalhe que rendesse um décimo na pista. Ele mudou a maneira de trabalhar na F-1, ensinou como tínhamos que fazer. De certa forma, ele extingiu a função de engenheiro de pista. Os pilotos, a partir dele, têm que ser engenheiros também (...) Senna era um perfeccionista, vivia para correr. Acho que ele não era um homem feliz, então colocava todos os seus esforços na F-1 para tentar extrair dali algo de positivo, que lhe desse uma satisfação. Mas sempre achei que ele não era um homem feliz. Mesmo na F-1, ele amava o carro e a competição, mas não gostava de toda a política que havia em volta. Acho que ele correria mais um ano na F-1 e pararia."
Campos ainda o comparou com Alonso, que conhece muitíssimo bem _foi o "descobridor" do bicampeão da F-1. E falou de suas expectativas sobre o convívio do bicampeão com Massa em Maranello.
"Senna era um piloto muitíssimo esforçado, um trabalhador incansável. Já Alonso é um matador. É muito agressivo e tem muito feeling. Quando ele diz que vai ganhar uma corrida, ele ganha. Quando ele sabe que vai fazer uma pole, ele faz. Ele tem essa percepção perfeita de como o carro está. E sabe também que consegue tirar mais meio segundo, por talento natural. Massa é rápido, e a equipe está apaixonada por ele. Alonso tem a capacidade de fazer a equipe funcionar. Se o Massa for esperto, ele pode se beneficiar muito disso. Não sei se será pacífico, mas será divertido."

Blog do Fabio Seixas.

"Bruno tem um talento inegável"


Em um almoço para jornalistas na cidade de São Paulo, Adrian Campos apresentou Bruno Senna como piloto de sua equipe no próximo ano.

O espanhol, que já correu na F-1 no fim dos anos 80, pretende colocar o carro na pista pela primeira vez na primeira semana de fevereiro, em Valência. Antes disso, quer definir sua dupla.

"O segundo piloto será anunciado antes do natal. Tem que ser", afirmou Campos, que testa por mais três semanas em Jerez e Barcelona, antes do início do campeonato."Bruno tem um talento inegável", comenta Campos.

O dirigente, que já trabalhou como manager de Fernando Alonso, afirmou que assinou com Senna por seu talento ser "inegável", não pelo sobrenome famoso.

"Não sabemos onde pode chegar, se será igual ao tio. mas eu assinei com ele porque o talento dele é inegável. O que ele fez em tão pouco tempo de automobilismo é surpreendente. Por isso assinamos com ele sem que ele traga dinheiro, mas o próximo terá que trazer."

Campos também justificou os motivos pelos quais não assinou também com Nelsinho Piquet. "Não fecho a porta para ele. Conversamos, mas para este ano não vai dar. É ruim ter dois pilotos de uma mesma nacionalidade na equipe. Eles estão no mesmo mercado e concorrem pelos mesmos patrocinadores."

Por fim, o espanhol comentou sobre a rivalidade entre Felipe Massa e Fernando Alonso no próximo ano. "Massa é rápido, mas alonso tem a capacidade de fazer a equipe funcionar. Massa pode se beneficiar disso. Não sei se será uma convivência pacífica, mas será divertido acompanhar."

Tazio - UOL

Bruno Senna tenta driblar pressão para estreia na F-1

O brasileiro Bruno Senna tenta driblar a pressão de carregar o sobrenome famoso para estrear na F-1 no dia 14 de março, no GP do Bahrein. Desde que foi apresentado como piloto da novata Campos, em novembro, o sobrinho de Ayrton Senna tem sido procurado diariamente por jornalistas de todo o mundo para entrevistas.

- Sempre existiu uma presão enorme. Mas sempre lidei com isso colocando objetivos factíveis para a minha carreira. Não posso absorver essa pressão. Na minha corrida de estreia na F-BMW, estavam me comparando com o Ayrton. Junto com a minha mãe e minha irmão me preparei da melhor maneira para lidar com a pressão e a cobrança - disse Bruno, durante encontro com jornalistas na tarde desta quinta-feira em um restaurante de São Paulo.

E para a primeira temporada na principal categoria do automobilismo mundial, o objetivo é muito claro: somar pontos. Os donos da Campos têm a meta de acabar a temporada como a melhor entre as quatro equipes estreantes.

Apesar de tentar se livrar do lado ruim do parentesco com o lendário tricampeão mundial, Bruno, de 26 anos, reconhece que o sobrenome foi, por enquanto, fundamental para sua ascensão no automobilismo.

- Pude financiar a minha carreira por causa da atenção que o sobrenome Senna despertava na imprensa e no público.

Por enquanto, o brasileiro tem ajudado nos detalhes do carro que irá piloto em 2010. Ele tem conversado regulamente com engenheiros da equipe espanhola. Os testes na pista só começam em fevereiro.

- Não vejo a hora de sentar no carro. Tenho acompanhado tudo. Espero que o carro seja bem-nascido

A Campos ainda não definiu quem será o companheiro de Bruno na temporada. A equipe espanhola também negocia com patrocinadores. Além de somar pontos, o plano dos espanhóis é se consolidar como a primeira equipe verde da F-1.

- Queremos plantar árvores nos arredores dos circuitos em que as corridas forem realizadas para compensar a emissão de gás carbônico provocada pelos carros - afirmou Enrique Rodríguez de Castro, CEO da Campos
Fonte - O Globo.

"O Novo Senna" - Entrevista de Bruno Senna ao Portal ONNE


Bruno Senna conversou com o ONNE no evento Capacete de Ouro


Bruno Senna é uma grande promessa do automobilismo brasileiro e a partir do ano que vem, o jovem de 26 anos terá pela frente o maior desafio da sua vida ao disputar a primeira temporada na Fórmula 1, na também estreante equipe Campos Meta. O desafio de Bruno será ainda maior pela inevitável comparação com o seu tio Ayrton Senna, tricampeão mundial na categoria.

O piloto, apesar de ter começado a carreira tardiamente, apenas em 2004, já disputou a Fórmula 3, a Fórmula 3 Inglesa, a Le Mans Series e a GP2, onde conseguiu sucesso ao conquistar o segundo lugar no mundial de pilotos na temporada 2008.

No início dessa semana, na 13ª edição do Capacete de Ouro, evento que premia os pilotos e navegadores do país que obtiveram os melhores resultados na temporada nas pistas e trilhas pelo mundo, Bruno conversou com o ONNE.


Confira a expectativa do piloto para a temporada 2010 da Fórmula 1.


ONNE: Qual a expectativa para estrear na novata equipe Campos?
SENNA:Agora eu tenho a chance de estar em uma equipe da Fórmula 1, dar a minha influência no desenvolvimento do carro, então é muito mais excitante, é muito mais animador estar ali com a equipe. Só que infelizmente não tem treino e é preciso esperar até fevereiro para andar com o carro. Mas são coisas do automobilismo e temos que nos adaptar.



ONNE: O que esperar do carro para a temporada 2010?
SENNA: Vamos ter que aproveitar os testes de pré-temporada o máximo possível, mas o importante é ter o pé no chão e saber que ainda há limitações por inexperiência. Tenho que me desenvolver com calma, não adianta sair afobado. A equipe também tem que trabalhar o máximo para conseguir o desenvolvimento rápido, mas tudo depende de muitos fatores. Acho que ser ou não ser estreante, não é a definição de ser ou não bem sucedido.

ONNE: Quem fará dupla com você na Equipe Campos?
SENNA: Na verdade está entre o Pastor Maldonado (Venezuela) e Vitaly Petrov (Rússia), que são pilotos de GT2, que já tiveram vitórias na modalidade. Ainda não foi decidido isso, mas para mim não tem diferença, o importante é que meu companheiro de equipe possa trabalhar em conjunto comigo para levar a equipe para frente e não ficar só uma disputa de pilotos dentro da equipe.

ONNE: O que você acha desse novo regulamento?
SENNA: A parte do combustível vai ser muito interessante com relação como as equipes e os pilotos encaram a performance do carro durante a corrida. Algumas equipes vão priorizar o desempenho no início da prova e outras mais pro final. Isso vai criar muitas fases durante a prova e acho que cria um pouco de imprevisibilidade para a corrida. Estou animado para isso, pois quanto mais mudança de um ano para o outro melhor para quem está entrando e pra gente se tivesse mais algumas mudanças seria ainda melhor.

ONNE: Por carregar o sobrenome Senna, como você lida com a pressão que agora só tende a aumentar?
SENNA: A pressão vai ser maior, só que eu tive uma preparação muito boa desde o começo. Sem nunca ter corrido antes, na minha primeira corrida na BMW, eu tive uma equipe de televisão filmando, então pressão sempre teve lá e só uma questão de saber lidar com ela e criar objetivos reais, coisas que eu sei que consigo fazer antes de fazer o que as pessoas esperam de mim.
A minha responsabilidade é de mostrar o meu potencial, eu não vou ficar me cobrando, pois quem me cobra por ser Senna está com a ilusão de que eu tenho a obrigação de ser igual ao Ayrton e não é isso. Eu tenho que traçar o meu caminho para alcançar o sucesso.

ONNE: E como vai ser competir com Rubens Barrichello e Felipe Massa?
SENNA: Acho que vai ser a máfia brasileira junta na Fórmula 1 mais do que nunca, na GP2 sempre fazíamos coisas juntos com os outros brasileiros e agora na Fórmula 1 as coisas ficaram um pouco mais fáceis porque o Paddock é o mesmo.

ONNE: Qual equipe você considera favorita para a próxima temporada?
SENNA: Bom, acho que a Ferrari e a McLaren estão com uma dupla de pilotos muito fortes (Massa e Alonso; e Hamilton e Button, respectivamente) e provavelmente eles serão as equipes a serem batidas. Agora, quem vai ganhar de quem teremos que esperar.

ONNE: E a ex-Brawn, agora Mercedes?
SENNA: Todo mundo conhece a capacidade do Ross Brawn. Tem que ver como ficou o desenvolvimento do carro do próximo ano, porque como eles acertaram o caminho esse ano, então as chances são boas.

ONNE: O que representa o Capacete de Ouro?
SENNA: Com certeza é uma consagração por todo o trabalho que você faz durante o ano. Todo mundo está trabalhando bastante para atingir o sucesso na carreira e acho que o Capacete de Ouro é uma motivação para todos os brasileiros que estão na batalha, que a gente sabe que não é fácil.

Fonte: PortalOnne

Video: Bruno Senna no Capacete de Ouro

video


O Café com F1 conversou com o brasileiro Bruno Senna no Capacete de Ouro.

Entrevista concedida ao repórter Thiago Raposo.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Senna prevê disputa entre ex-GP2 para vaga restante na Campos



Já garantido na Fórmula 1 na próxima temporada, Bruno Senna não esconde as preferências da Campos, sua primeira equipe na categoria, para a outra vaga do paddock. Animado com as perspectivas de sua estreia, o brasileiro prevê Vitaly Petrov ou Pastor Maldonado, ambos ex-GP2, como seus prováveis companheiros de time.

"Está entre esses dois. Mas para mim não faz muita diferença quem vai ser o escolhido. O importante é que a gente pense no trabalho em conjunto, e menos nessa disputa interna", disse Bruno Senna, na chegada para a entrega do prêmio Capacete de Ouro, em São Paulo.

O russo Petrov é um velho conhecido da Campos, que possui uma escuderia na GP2, espécie de categoria de acesso da Fórmula 1. A ligação entre as partes existe desde 2002, quando o atleta, que hoje tem 25 anos, estreou na categoria.

Pastor Maldonado, por sua vez, também carrega consigo a experiência da GP2. O venezuelano correu o renomado campeonato nos últimos três anos por Trident Racing, Piquet Racing e ART Grand Prix. Seu melhor resultado foi um quinto lugar no torneio de 2008, pela equipe comandada pelo ex-piloto brasileiro.

A animação com o futuro na Fórmula 1, porém, não faz Bruno Senna sonhar com o título. Para o brasileiro, a situação vivida pela Brawn GP em 2009 não será repetida com nenhuma das estreantes, já que a diferença de orçamentos é gritante.

"O caso deles é mais específico. Eles tiveram um orçamento diferenciado pela Honda, além de um projeto feliz e os motores da Mercedes. Não dá para aplicar essa situação para as novas. Temos de ter os pés no chão", disse Senna.
Abril.

Ouça: Entrevista de Bruno Senna concedida na chegada da premiação Capacete de Ouro


Na chegada à premiação Capacete de Ouro, Bruno Senna conversou com as rádios CBN e Globo. O piloto brasileiro comentou sobre o seu trabalho com a equipe Campos Meta, ressaltando que o staff será completamente fechado até o final de janeiro, bem como discorreu sobre sua relação com a Dallara, fabricante do carro da equipe espanhola.

Por fim, Bruno salientou a importância dos testes de fevereiro e ainda comentou sobre a possibilidade de correr ao lado de Nelsinho Piquet. Segundo o seu entendimento, para o padrão de ação da Campos, o campo para busca de patrocínio seria reduzido, o que dificultaria o negócio.

Ouça a entrevista concedia à jornalista Vanessa Ruiz:
http://vanessaruiz.info/bruno-senna-busca-da-campos-por-patrocinio-po

Fotos de Bruno Senna no Capacete de Ouro 2009


O piloto Bruno Senna esteve presente ao Capacete de Ouro, premiação concedida pela Revista Racing aos melhores do automobilismo no Brasil. Bruno atendeu à imprensa e não escapou dos humoristas do Pânico da Rede TV.

Fonte: Revista Racing

Entrevista com Bruno Senna - Revista Auto Esporte

ESTE SENNA É BRUNO

Brasileiro estreará na Fórmula 1 na novata Campos, primeira equipe espanhola na categoria

As feições lembram as de Ayrton Senna. Mas aos 26 anos, Bruno não vacila. acostumado às comparações com o tio, afirma que chegou à F-1 por seus méritos, a partir dos resultados em outras categorias. “ Aos poucos, as pessoas vão perceber que o Ayrton era o Ayrton e eu sou o Bruno”, diz. Ele começa na Campos Meta em 2010 e pode ter como companheiro * Kimi Raikkonen ( que não tinha acertado sua equipe até o fechamento da edição ). Após um ano que classifica como de “espera e aprendizado nas corridas de longa duração na série Le Mans”, Senna se prepara para a principal categoria do automobilismo.

Você já disse que experiência e quilometragem são igualmente importantes para um piloto. Atingiu o ponto ideal nesses aspectos para encarar a F-1?

São importantes, sem dúvida. Mas uma das minhas qualidades é aprender rapidamente. Por onde passei, meus resultados vieram depressa. Fui o brasileiro que venceu mais cedo na GP2, na terceira corrida. No meu teste de F-1 com a Honda em novembro de 2008, fiquei a dois décimos do Jenson Button, que tem dez anos na categoria. Antes da abertura da temporada, teremos quatro semanas de testes. Se não é o ideal, espero que seja suficiente para me dar a mão do carro.

Quais as suas expectativas para 2010? O que pode adiantar sobre a Campos e o seu carro?

É prematuro fazer previsão. A Campos tem uma bela história nas categorias de base e o comando do Adrian Campos, que andou na F-1 no fim da década de 80. O projeto é sério e a equipe está se cercando de profissionais capazes. O carro está sendo construído pela Dallara, que fornece para séries importantes como GP2, Fórmula Indy e Fórmula 3. Logo que fui contratado, estive na fábrica e fiz o ajuste do banco. Testei a direção hidráulica e gostei do funcionamento. Estou ancioso pelo início dos testes.

Você vai manter o “ estilo de pilotagem suave “, como descreve o seu ?

É difícil dizer o que esperar de um carro que nem foi totalmente construído. Sabemos que a Fórmula 1 será diferente em 2010, já que os carros largarão pesados e terminarão leves por causa do fim do reabastecimento. Uma freada no início da corrida será uma coisa; no final, outra completamente diversa, pois o combustível terá sido consumido.

Quais serão as suas metas?

Quero ajudar a Campos a ser a melhor das estreantes. Para um início em que não se sabe o que virá pela frente, essa pode ser uma meta viável. Quem sabe chegar nos pontos....Sei lá, só mesmo esperando pelo começo das corridas.

Após o desempenho da Brawn GP, estreantes são encaradas de outra maneira?

Acho que são situações diferentes. A Brawn manteve praticamente todo o corpo técnico e organizacional da Honda. A estrutura estava pronta. A mudança para o motor Mercedes ajudou, mas a verdade é que a equipe foi tão mal em 2008, que começou a trabalhar no carro seguinte, com regulamento bastante modificado, principalmente na aerodinâmica, o que levou a uma grande vantagem. As equipes novas de 2010 vão conhecer a Fórmula 1 a partir de agora.



Fonte: Revista Auto Esporte
Edição de Dezembro